O Colégio Maria Imaculada iniciou suas atividades em 1936, quatro anos após a chegada das Irmãs Concepcionistas a São Paulo. A educação ministrada por ele traz implícita uma concepção do homem, de Deus e da sociedade. Visa a uma formação intelectual e afetiva alicerçada por uma vivência cristã.  A tarefa de educar para essas religiosas resumia-se e ainda se resume a promover o desenvolvimento equilibrado da cabeça e do coração. Eram sábios os conselhos que Me.Carmen lhes passara : “Sejam poços que se enchem, pelo estudo e oração, de ciência e de virtude, para depois reparti-las.”

Diante de  tudo isso, comprovamos que, em seu renovado espaço arquitetônico, no ano de 2006,  evangeliza-se por meio de uma educação preventiva, favorecendo a formação da pessoa e a percepção de si mesma, enquanto sujeito-histórico. “Tudo podemos naquele que nos conforta.”

Estes são os cursos oferecidos, atualmente, em nossa escola paulistana : Educação Infantil, Ensino Fundamental  I e II e Ensino Médio (convênio com a FTD Sistema de Ensino). Essa instituição mantém, ainda, o Período Integral, que atende, do Infantil até o 8º ano do EF II, alunos que necessitam permanecer na escola por um período além do regular. Ela oportuniza o desenvolvimento da autonomia, do discernimento e sociabilização por meio do apoio pedagógico e envolvimento com projetos diversificados de cunho cultural, esportivo, artístico e recreativo. A Educação Física Modular é uma inovação, por sinal, bem aceita pelos alunos, e a Escola de Esportes apresenta várias modalidades de exercícios físicos. Nem é preciso dizer que nossa Academia CEMI serve de modelo para outras escolas. Há, também, cursos extracurriculares ( Inglês, Música e Escotismo).

Nessa casa concepcionista, encontramos várias Irmãs que se dedicam, de corpo e alma, à educação, sem medir esforços e  que se contaminam de alegria  pela paz interior que sentem, ao constatarem o dever cumprido ou que ainda vão cumprir...Têm em mente que é preciso entrar na alma dos jovens, para ganhar-lhes o amor e levá-los a Deus, que é onde está o verdadeiro amor. Ensinam mais com o exemplo do que com palavras. A tônica constante de suas escolas é unir a fé e a cultura para atingir a felicidade e o desenvolvimento das pessoas e dos povos. Elas têm dotes especiais para exercer esse trabalho como vocação. “ Tudo que se faz, deve ser bem feito  porque é em Deus e para Deus.”

A direção da escola, sempre atenta e participativa, mais os educadores habilitados, tais como coordenadoras e professores,  profissionais engajados no ideal de Me. Carmen Sallés e de posse de materiais pedagógicos consonantes com uma formação moderna, vão cristalizando, todos os dias, o sonho da  fundadora: uma boa e integral formação de seus alunos. Procuram, num clima de grande harmonia, amizade, firmeza, respeito e responsabilidade, estimular os jovens para um estudo prazeroso e mantê-los competentes para os novos desafios que, com certeza, enfrentarão, com expressividade, no futuro, em nosso país ou em terras estrangeiras. Não podemos nos esquecer dos funcionários que, também, contribuem direta e intensamente para o bom andamento da concretização da missão concepcionista.

Enfim, todas essas pessoas, inseridas nesse contexto, amam, acreditam, e agem como verdadeiros cristãos, para, efetivamente, educar .

No CMI, é uma constante a  prática  da  moral, da ética, da cidadania e dos valores cristãos para o jovem aprender a “ser”. “ Tudo podemos n’Aquele que nos conforta.”

Quantas e quantas famílias já não passaram por essa escola tendo seus filhos educados e preparados para a vida por ela ... São médicos, psicólogos, químicos, jornalistas, publicitários, professores, advogados, dentistas, administradores, economistas, engenheiros, bancários, arquitetos, enfim, profissionais das mais diversas áreas, atuando no mercado, pais de família, que fazem de suas histórias, como seres humanos, um exemplo de amor e fé, quando tocados pelas orientações que puderam ouvir e vivenciar nessa instituição.”Que todos possam perceber que você se educou em um Colégio de Maria Imaculada.”